Curadoria do Abraço:

onde assistir filmes em língua estrangeira on-line durante o isolamento social

Durante o isolamento social, percebemos, mais do que nunca, que podemos viver sem muitas coisas e hábitos que mantínhamos em tempos “normais”. Porém, também descobrimos que viver sem cultura e entretenimento é quase impossível.

Dessa maneira, surgiram iniciativas no mundo inteiro com o objetivo de promover um acesso livre, on-line e gratuito a conteúdos culturais diversos. Portanto, resolvemos fazer uma espécie de curadoria aqui, listando algumas dessas iniciativas e também outras maneiras para assistir conteúdos audiovisuais on-line gratuitamente. Escolha o idioma de sua preferência e bom filme!

ÁRABE
ESPANHOL
FRANCÊS
INGLÊS

Filmes em árabe

O Palestine Film Institute é o órgão nacional da Palestina responsável pelo financiamento, preservação e promoção do cinema do Estado. Eles desenvolveram uma iniciativa chamada Palestine Film Platform, que é uma colaboração com cineastas palestinos e com instituições culturais palestinas. A Plataforma é um ótimo recurso para assistir filmes árabes e transmitirá um novo longa-metragem palestino toda semana gratuitamente!
Filmes palestinos com legendas em inglês ou, dependendo da produção, em francês, espanhol e até português. Acesse a plataforma por aqui.

Aflamuna é uma iniciativa lançada por um grupo de cineastas e instituições de cinema árabes, liderada por Beirut DC, uma associação cultural para o desenvolvimento do cinema árabe independente. Esta iniciativa tem como objetivo mostrar algumas das melhores, mais instigantes e independentes produções do cinema árabe contemporâneo, para que você aprecie gratuitamente por um tempo limitado. Novos filmes são lançados no site a cada 15 dias.
Filmes árabes com legendas geralmente em inglês. Acesse a plataforma por aqui.

O Arab Film and Media Institute em conjunto com o The Arab American National Museum, ArteEast e Cinetopia Film Festival anunciaram uma iniciativa para transmitir ao vivo curtas árabes on-line que abordam questões importantes através de elementos de comédia e animação. Seja nos levando para uma experiência extracorpórea, explorando uma mudança de estilo de vida ou lidando com visitantes inesperados, esses belos curtas-metragens nos dão uma visão dos problemas complexos e das situações interessantes em que podemos nos encontrar. As transmissões ao vivo aconteceme sempre eaos sábados. Acesse aqui para saber mais.

A Royal Film Commission Jordan está disponibilizando filmes de cineastas jordanianos e árabes para visualização em sua página no Facebook. Os filmes são publicados como links e, quando possível, seguidos de uma sessão de perguntas e respostas ao vivo programada com o diretor. Os filmes incluem o poderoso Privacy of Wounds, de Dalia Al Kury, um documentário em que o cineasta jordaniano reconstrói uma cela de prisão em um porão norueguês, onde três ex-prisioneiros concordam em ser presos para revelar seus sentimentos mais profundos.
Filmes árabes, alguns com legendas em inglês. Acesse a página por aqui.

A Netflix não é, digamos, uma plataforma que investe muito em colocar conteúdos árabes na sua programação. Se você quiser, pode acessar a categoria que mostra todos os filmes árabes disponíveis lá por aqui, mas a grande maioria são comédias bem típicas do Egito. Alguns títulos por lá fora dessa categoria seriam: “Tempestade de Areia”, “The Square”, “Janelas no Deserto”, “Justiça”, “Al Hayba” e “O Casamento de Ali” (em inglês/árabe).

Filmes em espanhol

Retina Latina é uma plataforma digital para fomentar o cinema latino-americano, de natureza pública e acesso gratuito a cidadãos da América Latina e do Caribe. A plataforma possui um catálogo de mais de 170 produções de países como Bolívia, Peru, Colômbia, Equador, Uruguai e México. Para acessar o conteúdo, você só precisa se registrar gratuitamente.
Os filmes são em espanhol, sem legendas. Para acessar, clique aqui.

O Ministério da Cultura, Artes e Patrimônio do Chile desenvolveu a plataforma audiovisual, a OndaMedia, que inclui vários filmes, documentários, longas-metragens, curtas-metragens e séries. Infelizmente, para não residentes do Chile, só estão disponíveis 8 conteúdos.
Para achar os filmes de livre acesso fora do Chile, basta digitar “ondassinfronteras” na busca do site.
Os filmes são em espanhol, sem legendas. Acesse o site aqui.

Através da plataforma argentina Cine.AR, é possível encontrar filmes do país. Embora as estreias não estejam disponíveis para todos, o restante do catálogo está aberto para aqueles que desejam explorá-lo.
Filmes em espanhol, sem legenda. Clique aqui para acessar a plataforma.
Obs.: caso o vídeo demore para carregar no início, tente pular e começar os vídeos um pouco depois do início. Aqui funcionou dessa maneira.

Devido à situação preventiva decretada em nível nacional em El Salvador pela pandemia do COVID-19 e após a indicação de ficar em casa, a ESCINE (Escuela de Cine en El Salvador), decidiu preparar uma lista de filmes diferentes para que você possa assistir durante a quarentena atual.
Filmes em espanhol, sem legendas em sua maioria. Acesse aqui a plataforma por aqui.

O Festival Internacional de Documentários do Equador anunciou que atualizaria seu site para adicionar conteúdo os quais os usuários poderão assistir.
Documentários em espanhol, em sua maioria sem legendas e alguns com legenda em inglês. Acesse aqui a plataforma.

O Cine Cubano en Cuarentena é uma iniciativa para tornar os dias de confinamento mais suportáveis. Dirigido pelo jovem diretor José Luis Aparicio, consiste em tornar gradualmente a transmissão de filmes de todas as idades e gêneros audiovisuais da nação caribenha acessíveis por streaming, que os interessados ​​podem assistir enquanto durar a emergência de saúde. Um espaço que é como ter uma espécie de cinemateca em casa.
Muitos documentários e curtas acessíveis em espanhol, a maioria sem legendas. Clique aqui para acessar o repositório de conteúdos da iniciativa.

Filmes em francês

O Festival Varilux de Cinema Francês acontece todos os anos no Brasil trazendo novos filmes francófonos para o público brasileiro. Esse ano, a edição Varilux Em Casa acontecerá on-line e gratuitamente. O Festival disponibilizou uma seleção de 50 filmes das últimas edições do evento em casa de graça até o dia 27 de agosto. Nossa sugestão, para quem ainda não assistiu, é o filme “Samba”, que aborda questões migratórias. Para acessar o site clique aqui.

O My French Film Festival – Stay Home Edition convida o público a descobrir ou redescobrir uma seleção de mais de 50 curtas-metragens e 20 longas-metragens das últimas 10 edições do MyFrenchFilmFestival disponíveis em todo o mundo e legendados em vários idiomas, até 25 de maio de 2020. Sugerimos “Comme un lion”, filme senegalês. Filmes e curtas francófonos, com possibilidade de legendas em francês ou em outro idiomas, como português.
Para acessar o site clique aqui.

O Cine África é um cineclube que tem como principal objetivo difundir a produção audiovisual realizada no continente africano. O projeto surgiu em 2019 dentro da programação do Circuito Saladearte em Salvador. Em tempos de isolamento social, o projeto vai realizar o “Cine África | Em Casa“, permitindo continuar com o objetivo de aumentar o repertório do público brasileiro de filmes de cineastas africanos(as). Serão três sessões por mês em formato digital: primeiro se assiste ao filme e depois se reúne virtualmente para um bate-papo com convidados. As sessões acontecerão sempre aos sábados (os três últimos de cada mês) às 16h. A maioria dos filmes que farão parte da programação são de países francófonos, como Senegal, Mali e Mauritânia. Filmes com legendas em português. O primeiro filme será exibido dia 16 de maio. Para saber mais, acesse aqui aqui.
Atualização: os filmes do Cine África em Casa são falados nas línguas nativas dos países de sua origem, não em francês, mesmo que este seja uma das línguas oficiais dos Estados. Tais filmes são igualmente ricos para o aprendizado através de culturas não hegemônicas.

Desde março, o Centre Yennanga, no Senegal, disponibiliza filmes em sua página no Facebook. Depois de uma retrospectiva do Djibril Diop Mambety e nos dar a chance de ver ou ver o “Félicité” de Alain Félix, descubra a nova geração de cineastas senegaleses. Para saber mais, acesse aqui. Filmes em francês, quase sempre sem legenda ou alguns com legenda eme inglês. O Centro, do qual Alain Gomis, diretor franco-senegalês, é o fundador, busca fomentar o treinamento, a criação e transmissão cinematográfica e audiovisual em Dakar. É uma incubadora, com o objetivo de identificar e apoiar jovens talentos cinematográficos e audiovisuais visando à integração profissional e a realização de seus projetos.

Filmes em inglês

Existem uma quantidade bem grande de filmes em inglês disponíveis em plataformas de streaming na internet. Porém, como um dos nossos objetivo no Abraço Cultural é justamente ensinar línguas através da valorização de culturas não hegemônicas, preparamos uma lista de filmes totalmente ou parcialmente em inglês de produção de origem de três países do Sul Global para você assistir e descobrir novos horizontes cinematográficos:

Produções nigerianas

A Nigéria é uma grande produtora de filmes. Sua produção é tamanha que já lhe rendeu o apelido de “Nollywood”, por ser considerada a terceira maior indústria de produção de cinema do mundo, atrás apenas de Hollywood (Estados Unidos) e Bollywood (Índia). A título de curiosidade, há fontes que estimam que desde o final da década de 1990 são produzidos mais de mil filmes por ano na Nigéria.

Lionheart (2018): Adaeze (Genevieve Nnaji) é uma executiva calma e competente que trabalha na empresa de seu pai, a Lionheart Transport. Ela prova constantemente sua habilidade de trazer lucros e lidar com situações difíceis, mas quando seu pai adoece quem é dado a posição de chefe é seu tio não tão competente. Porém, seu desejo de lutar pelo que merece precisa ser deixado de lado e ela precisa se juntar a seu tio para salvar a Lionheart quando eles descobrem que a empresa está falindo.

Casamento às avessas (2017): O filme apresenta situações cômicas que podem ocorrer durante os preparativos de um casamento e também ao longo do grande dia. Porém, diferentemente de filmes com roteiros semelhantes, a graça fica por conta de ser um casamento na Nigéria. Trata-se de uma comédia romântica que mostra muitos aspectos culturais em relação ao casamento no país.

Aprendiz de Mecânico (2019): Uma criança de família rica é levada pra trabalhar numa oficina e começa a desenvolver diversas habilidades, além de vivenciar experiências marcantes com seus colegas. O filme traz diversas críticas sociais com um tom cômico — destaque para o momento em que um aprendiz de mecânico questiona o conhecimento adquirido pelos engenheiros mecânicos na universidade.

Love is War (2019):O clima fica complicado quando um casal ganha as nomeações como candidatos dos dois principais partidos em uma próxima eleição governamental. O casamento deles sobreviverá a esse evento sem precedentes?

The Arbitration (2016): Após o diretor de uma empresa ser acusado de abusar sexualmente uma das suas principais funcionárias, uma comissão especial é convocada pra julgar o caso. Com uma dinâmica inteligentíssima, o filme traz à tona temas como chantagem psicológica, abuso emocional, conflito de interesses e empoderamento feminino.

Produções sul-africanas

Queen Sono (série, 2019): Queen Sono, a espiã vivida pela atriz Pearl Thusi, é uma mulher forte e que joga conforme as próprias regras, mesmo que isso não seja o melhor para si. A série que leva o nome da protagonista e é cheia de ação e reviravoltas é a primeira produção da Netflix feita inteiramente na África.

Mais uma Página (2018)
Max Matsane (Kagiso Lediga), um professor universitário, e Sam (Pearl Thusi) estão aproveitando o casamento enquanto ainda não têm filhos. Quando o famoso autor Heiner Miller (Andrew Buckland) volta a Joanesburgo, se hospedando com o casal, a relação deles é botada à prova. Um filme que coloca questões raciais, de privilégio, de classe e sobre perspectivas amorosas em jogo.

Cassim, o comediante (2012)
Ambientado no bairro indo-muçulmano de Fordsburg, “Material” narra a tempestuosa relação entre Cassim Kaif, interpretado pelo comediante sul-africano Riaad Moosa, e seu pai idoso, Ebrahim, que sonha em ver o filho à frente da loja de tecidos da família.
O filme combina momentos comoventes de drama pessoal e familiar com hilários fragmentos de comédia “stand-up” e do cotidiano de Johanesburgo, uma das cidades mais cosmopolitas do continente.

Produções indianas

Pad Man/Homem Absorvente (2018): O filme conta a história real de Arunachalam Muruganantham, o homem que inventou uma máquina que produz absorventes femininos baratos, para que as mulheres mais pobres da Índia pudessem ter acesso ao produto. Nas regiões rurais do país, a menstruação era vista como um tabu e Arunachalam enfrentou o preconceito e as dificuldades até se transformar em um homem de sucesso.

Soni (2018): Soni é uma jovem e promissora policial da cidade de Deli. Ela e sua chefe, Kalpana, têm se destacado no combate aos crimes de violência contra a mulher, que crescem cada vez mais no país. Devido à rotina extenuante e aos casos chocantes que presencia, Soni começa a reagir agressivamente e é transferida de departamento por má conduta. Kalpana tenta convencer seus superiores a deixarem Soni voltar, mas também começa a receber retaliações.

Pink (2016): Minal, Falak e Andrea conhecem três amigos numa boate e decidem acompanhá-los em uma festa privada. No local, eles tentam abusar de Minal, que acaba ferindo um deles. Elas decidem denunciá-los por assédio, mas eles as acusam de tentativa de homicídio. Os assediadores são ricos e influentes, enquanto as amigas trabalham para sobreviver. Parece uma batalha perdida, mas elas encontram um advogado disposto a ajudá-las.

Roberta Sousa, Coordenadora de Comunicação do Abraço RJ