Crioulo haitiano: um pouco sobre a

língua crioula mais falada no mundo

“Kreyòl pa sèlman yon lang, yon gwoup etnik men se tout yon filozofi.”

[O crioulo não representa apenas uma língua ou um grupo étnico, mas também toda uma filosofia]. Tradução livre.

O crioulo haitiano (kreyòl ayisyen) é a língua falada por quase toda a população do Haiti – mais de 11 milhões de habitantes. A outra língua oficial do país é o francês, idioma no qual o crioulo haitiano foi majoritariamente baseado. Porém, outros idiomas como o taino (nativo da ilha) e algumas línguas do oeste da África (iorubá, fon, jeje) também tiveram influência na consolidação do crioulo haitiano. E neste artigo vamos abordar sobre a língua e alguns aspectos culturais e políticos da mesma. Vem com a gente!

Sobre a língua e seu uso:

Mapa que mostra as principais cidades do Haiti, em francês.

Na prática, o francês ainda permanece sendo empregado como a língua de prestígio do governo e do poder local, além de ser também a língua utilizada para estudos e nos espaços educacionais em geral. É mais falado por uma elite urbana, que representa cerca de 8 a 10% da população do Haiti. No cotidiano, o crioulo é a língua que reina na ilha. Porém, mesmo sendo uma língua nativa, o crioulo haitiano ainda luta por legitimidade.

O crioulo tem 3 dialetos geográficos principais, e não é incomum que os haitianos falem mais de uma língua por vez entre eles:
O dialeto do norte, falado em Cap-Haitien, a segunda maior cidade do Haiti.
O dialeto central, falado na área metropolitana de Porto Príncipe, capital do país.
O dialeto sulista falado na região de Cayes, cidade importante no sul do Haiti.

A maior parte do vocabulário é de origem francesa com diferenças de pronúncia e morfologia.


3 principais diferenças entre o crioulo haitiano e o francês:

  • Os artigos seguem substantivos em vez de substantivos precedentes
    No crioulo haitiano, uma das maiores coisas que o diferencia do francês é sua gramática e sintaxe. Um exemplo são os artigos definidos, nos quais o crioulo muda a ordem dos artigos. Também se abstém de atribuir gêneros aos substantivos, como o francês faz.
  • Os verbos não são conjugados no crioulo haitiano
    O crioulo também se abstém de atribuir conjugações ou tempo verbal diretamente aos verbos. Muitos verbos em crioulo haitiano são a forma infinitiva do verbo francês, dependendo do contexto ou marcadores de tempo para determinar a conjugação ou tempo verbal. Muitos desses verbos são escritos ou pronunciados de forma diferente porque, em crioulo haitiano, as palavras são escritas exatamente como deveriam soar.
  • Pluralização de substantivos
    Os substantivos também são diferentes no crioulo haitiano. Em vez de adicionar “s” ou “es”, como faria em francês, o crioulo haitiano adiciona um artigo definido a uma palavra para torná-la plural.

Sobre o reconhecimento da língua:

O crioulo haitiano foi reconhecido como uma língua oficial do país apenas há algumas décadas – até então o único idioma reconhecido oficialmente desde a independência da nação, em 1804, era o francês. Isso aconteceu graças a uma política de valorização do crioulo que teve como um dos expoentes principais o escritor Morisseau-Leroy, pioneiro no emprego literário do crioulo. Desde a década de 1980, ativistas, educadores e escritores incentivam o orgulho da literatura crioula, contribuindo para o surgimento de jornais, programas de televisão e de rádio no idioma, além do ensino escolar em crioulo. Apesar dos esforços de valorização das últimas décadas, infelizmente, o crioulo haitiano ainda é visto com menos prestígio do que o francês.


Segundo o linguista haitiano Dejean (1983), o francês é uma língua estrangeira no Haiti, tanto para o haitiano menos favorecido, que vê o francês como a língua dos brancos colonizadores, como para uma elite escolarizada, que vê o francês como a língua da França ou de outros países. Ainda de acordo com Dejean (1983, p. 190), “nos dois casos, são conscientes do fato de que falar francês é característico do não-pertencimento à identidade étnica ou nacional haitiana”.

Entrevista do escritor Félix Morrisseau-Leroy sobre o lugar e a importância do crioulo haitiano, em 1957.

«Le français n’est pas notre langue maternelle; la langue de notre vie affective, la langue de notre vie profonde, la langue de notre vie pratique, pour la plupart d’entre nous, c’est le créole, idiome à la fois très proche et très éloigné du français.» – Pradel Pompilus, linguista haitiano.

[O francês não é nossa língua materna; a língua de nossa vida emocional, a língua de nossa vida profunda, a língua de nossa vida prática, para a maioria de nós, é o crioulo, uma língua muito próxima e muito distante do francês.]

O crioulo haitiano é uma língua com uma história fascinante, que conecta culturas através de gerações e origens e mostra como a história pode moldar as línguas e vice-versa. É uma representação das dificuldades e resiliência dos escravizados africanos no Haiti, um testemunho de uma luta e um triunfo em uma nação que é única na língua e na história.

Referências:

Histoire de la langue CRÉOLE HAÏTIEN. Tradlibre. Disponível em: <https://www.tradlibre.fr/histoire/histoire-de-la-langue-creole-haitien> . Acesso em: 22 de agosto de 2021.

À la découverte d’Haïti… Le créole haïtien. Dites Haïti. Disponível em: <http://diteshaiti.blogspot.com/2012/11/a-la-decouverte-dhaiti-le-creole-haitien_6117.html>. Acesso em: 22 de agosto de 2021.

30 expressions en créole haïtien. Créole Haïti. Disponível em: <https://creole-haiti.com/fr/expressions-en-creole-haitien/>. Acesso em: 22 de agosto de 2021.

Cool facts about haitian creole. Bilingua. Disponível em: <https://bilingua.io/cool-facts-about-haitian-creole> Acesso em: 22 de agosto de 2021.

Língua crioula haitiana. Wikipédia. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%ADngua_crioula_haitiana> Acesso em: 22 de agosto de 2021.

Gostou do conteúdo? Fique ligado/a nas nossas redes para conferir todas as novidades!
Conteúdo realizado com a colaboração do nosso professor Bernadin Pinquière.

Roberta Sousa, Coordenadora de Comunicação do Abraço RJ