Abraçando histórias

No mês de julho, o Abraço Cultural São Paulo completa 5 anos, e o sucesso da nossa trajetória se deve totalmente a vocês que acreditam no nosso projeto, nos acompanham e nos apoiam em todos os momentos. Então, para comemorar todos esses anos que caminhamos juntos, a gente preparou um presente! O Abraçando Histórias é um projeto que busca mostrar quem são as pessoas que fazem o Abraço Cultural SP acontecer e o que elas têm para nos contar. E qual a melhor maneira de conhecer alguém, senão pela sua própria voz? Então, toda semana, um de nossos professores e professoras vai compartilhar com a gente uma história que traz boas lembranças e com a qual eles/elas identificam. Aqui no nosso blog vocês poderão assistir todos os vídeos e ler os depoimentos completos de cada um dos protagonistas dessa história!
Vem com a gente!

“Eu posso dizer que o Brasil trouxe para mim a força”

Joly Kayembe

“Eu sou Joly Kayembe, tenho 41 anos, sou da República Democrática do Congo e cheguei aqui no Brasil em 2016. Não foi fácil deixar tudo atrás de mim para ir para um país em que não conhecia ninguém e tentar me integrar.

Quando cheguei estava perdida, mas tive a ajuda de pessoas muito atenciosas que me levaram ao Cáritas, um órgão que ajuda imigrantes refugiados a se integrarem na sociedade brasileira, e consegui uma vaga em um curso do Sesc Belenzinho para estudar português por um mês.

Depois desse tempo eu tive vontade de aprofundar mesmo na língua e comecei a treinar no dia a dia: no mercado, no ônibus, etc. Quando eu falava errado, muitos me corrijam. E assim foi indo.

Fiquei encantada com a riqueza da natureza e a biodiversidade. Importantes rios passam aqui, é uma reserva natural que não pode acabar; assim como no Congo, a diversidade do meio ambiente é muito encantadora. Se eu tiver a oportunidade, gostaria de visitar outros estados do Brasil, mas principalmente Santa Catarina porque queria ver neve.

Mas uma história engraçada que me marcou muito foi a primeira vez que vi a demonstração de afeto dos brasileiros. No meu país a gente não beija os parceiros na frente de todo mundo e aqui é uma coisa comum. Quando me deparei com essa cena fiquei me perguntando ‘o que é isso?’, mas agora já me acostumei, é a cultura daqui.

No geral, posso dizer que o Brasil trouxe para mim a força; a força que não tinha antes. Eu aprendi muito aqui. O país é como uma grande mãe que acolhe e ensina aos filhos e filhas a superarem os desafios que podem encontrar pelo caminho. Aprendi a ter força e ter fé; o dia seguinte sempre vai ter mais luz“.

Toda quarta-feira teremos um novo vídeo e uma nova história sobre as pessoas que fazem o Abraço Cultural SP acontecer!

Abrace você também essas histórias!

Bianca Silva, Coordenadora de Comunicação do Abraço SP