fbpx

Países do Sul Global para viajar e treinar seu segundo idioma

Quase todo mundo já quis alguma vez aliar uma viagem de turismo a um ambiente no qual pudesse colocar em prática um idioma que está aprendendo ou aprendeu. Geralmente quando pensamos nessa possibilidade logo visualizamos paisagens e cidades de países europeus ou outros Estados desenvolvidos, mas já pensou em quão rico pode ser visitar um país não tão convencional?
Antes de listar algumas opções de países onde você poderia aliar turismo com a prática de uma das línguas que ensinamos aqui no Abraço – árabe, espanhol, francês ou inglês, abaixo separamos alguns possíveis benefícios dessa escolha:

Descobrir lugares, pessoas e culturas que você geralmente não tem acesso

Conhecer um país em desenvolvimento significa muitas vezes descobrir povos e hábitos os quais não são dominantes econômica e culturalmente no mundo. Ou seja, você poderá ver e aprender sobre culturas que não chegam facilmente até nós, descobrindo novas visões de mundo, hábitos e modos de vida.

Sair da sua zona de conforto

Estar em locais famosos e já bastante explorados turisticamente produzem muitas vezes experiências mais rotineiras e confortáveis, limitando a nossa visão. Visitando um país do chamado Sul Global você certamente sairá da sua zona de conforto, o que trará mais aprendizados e vivências.

Ver de perto realidades parecidas, porém, diferentes da sua (no caso do Brasil)

Poder ver de perto países e regiões do Sul Global também pode levar você a ressignificar situações, hábitos e culturas de seu próprio lugar de origem – e aprender com isso!

Potencializar economias em desenvolvimento

Contribuindo para o turismo de um país em desenvolvimento você também contribui para a sua economia local, ajudando no desenvolvimento do próprio lugar. Leve em conta optar pelos pequenos negócios locais e nacionais!

Ato político

Escolher visitar países em desenvolvimento, que passaram por processos coloniais e imperialistas de exploração também pode ser encarado como um ato político. Preferir descobrir e contribuir com esses países significa valorizá-los e respeitá-los.

Obter preços mais atrativos

Além de todas as vantagens já citadas, viajar para o Sul Global geralmente também é bem mais barato do que mochilar em países europeus ou visitar os EUA e Canadá. As moedas em geral mantém um padrão parecido ou menor que o do real e os serviços e mercadorias costumam ser mais em conta.

Ainda está em dúvida? Então dá uma olhada nas nossas sugestões de destinos:

Destinos para treinar o árabe:

Líbano

O Líbano é um país que apresenta uma rica história cultural marcada por colunas romanas, muralhas fenícias e fortificações persas. A gastronomia também é parte fundamental no roteiro de quem pretende fazer turismo no país.
O ponto de partida para conhecer o país é sua capital, Beirute. O coração da cidade abriga os grandes mercados (souks) que atraem por suas cores, sabores e odores. A reconstrução desses mercados após a guerra civil nos anos de 70 e 80, conservou monumentos e os nomes das ruas originais em um complexo de 128.000 m².
A parte moderna de Beirute está no bairro de Hamra, onde são encontrados grandes hotéis, shopping e restaurantes. Já a parte central abriga a Grande Mesquita, que merece a visita. Originalmente uma igreja da época das Cruzadas, foi convertida em mesquita em 1291. A cultura no Líbano é muito forte e nas artes o Museu Nacional remonta a história da região enquanto o Museu Sursock abriga peças de prataria turca, ícones religiosos e obras de arte contemporânea libanesa. Sua localização em uma vila em estilo italiano do século 19, é uma atração a parte.
A cidade também detém belezas naturais ao longo de sua faixa litorânea com rochedos que vão de encontro ao mar, na avenida Corniche. A partir de Beirute, outras cidades merecem destaque e um roteiro pelo Líbano. Entre elas destacam-se Jeita ao norte da capital, Baalbeck com seu legado fenício, Anjar e suas ruínas de maravilhas arquitetônicas da dinastia de califas, Harissa que abriga o santuário de Nossa Senhora do Líbano e Byblos, cujo porto é o grande símbolo da cidade e que no verão recebe um grande festival de música com atrações populares internacionais.

Palestina

Além de ser a principal atividade econômica para a economia palestina, o setor de turismo tem se tornado uma ferramenta pelas autoridades locais para estabelecer uma cultura de paz na região. Sim, é possível fazer turismo na Palestina e conhecer importantes lugares deste Estado. A região da Cisjordânia é mais tranquila, onde fica Belém, local de nascimento de Jesus Cristo, entre outras cidades sagradas para os cristãos, como Jericó. Na Faixa de Gaza, a situação é bem diferente e os turistas são quase inexistentes. O povo palestino tem fama de hospitaleiros e os brasileiros são especialmente acolhidos de forma calorosa.

Egito

O Egito fascina com sua rica história, grandes monumentos e o poderoso rio Nilo. A cidade do Cairo é a porta de entrada para o país, conta com um dos mais incríveis museus do planeta, o Museu do Cairo, repleto de múmias, sarcófagos, esculturas e outras preciosidades. Próximo ao centro da cidade está o platô de Gizé, com as grandes pirâmides de Quéops, Quéfren e Miquerinos e a famosa esfinge.
Descendo o rio Nilo estão cidades como Edfu, com seu magnífico templo de Hórus, o mais bem preservado do Egito Antigo; Kom Ombo, e seus edifícios gêmeos, e a espetacular Luxor, com complexos religiosos incríveis como Karnak, e o imperdível Vale dos Reis, onde estão as tumbas de faraós como Ramsés II e Tutâncamon. Mais ao sul, está a agradável Aswan, próxima à barragem do lado Nasser. Aqui é o local ideal para explorar as ruínas de Abu Simbel, quase na fronteira com o Sudão, e a Ilha Philae, com o templo ptolomaico de Ísis, o último onde foram inscritos hieróglifos. Quando estiver na região, não deixe de visitar os milenares mercados de caravanas, e fazer um passeio de felucca, a embarcação de velas triangulares que cortam as águas do Nilo.
A oeste do país encontra-se o oásis de Siwa, onde Alexandre, o Grande, foi reconhecido faraó. Ele fundaria no delta do Nilo, já no mar Mediterrâneo, a cidade de Alexandria, onde maravilhas da antiguidade como o farol e a mítica biblioteca legaram fama e quase nenhum vestígio material.
Para quem acha que o Egito resume-se a deserto, areia, múmias e faraós, não deixe de conhecer o Mar Vermelho, um dos melhores pontos de mergulho do planeta. A culinária local é nutritiva e barata, oscilando entre pratos bem conhecidos como kafta, esfiha, saladinhas e falafel.

Jordânia

Para a maioria das pessoas Jordânia é sinónimo de Petra, uma das 7 Novas Maravilhas do Mundo e Património da Humanidade da UNESCO. Percorrer o estreito Siq a pé ou a cavalo e obter o primeiro vislumbre do local, está no imaginário da maioria dos viajantes. Sem dúvida que a antiga capital dos Nabateus é a joia da coroa do turismo da Jordânia, mas os encantos da Jordânia estão longe de se resumir a Petra. Mas além do famoso ponto turístico, a Jordânia abriga outros tesouros como o Mar Morto, o ponto mais baixo à superfície da Terra, o Deserto de Wadi Rum, os castelos do deserto e as fortalezas dos cruzados, o Monte Nebo, conhecer o Rio Jordão, as ruínas romanas de Jerash e conhecer pela vibrante cidade de Amã.

Destinos para treinar o espanhol:

Cuba

A terra de Fidel Castro é um país lindo e sua capital Havana é uma preciosidade, pois ficou congelada ao longo de mais de 50 anos. Caminhar pelas suas ruas é como caminhar por um museu vivo. Cuba é uma país de contrastes: ao mesmo tempo vê-se muita cultura, muita história, muita beleza e um povo muito amistoso e caloroso; mas lida-se também com as dificuldades de um país que não acompanhou as transformações do mundo capitalista.
Os destinos mais procurados pelos turistas são a capital cubana, Havana, e também o balneário de Varadero, com resorts em praias paradisíacas de águas cristalinas e areias finíssimas. Quem quiser se aventurar, dá para conhecer melhor a ilha, que guarda muita história e muito lugares belíssimos para visitar.
Além de Havana e Varadero, você pode fazer um passeio em Sierra Maestra, de onde Fidel Castro comandou guerrilhas no final dos anos 1950, lugar ideal para fazer camping, com uma vista muito bonita. No oriente da ilha, você pode visitar Santiago de Cuba, uma cidade bastante popular conhecida pelos seus famosos festivais musicais e vida noturna muito agitada.Se você for explorar a ilha de Cuba, não pode deixar de visitar Trinidad. Considerada como Patrimônio Mundial da Unesco, a charmosa cidade charmosas encanta os turistas pelas suas casas coloniais, ruas de pedras, cavalos e charretes que circulam como se estivéssemos de verdade no passado. E a vida noturna da cidade também é agitada, com casas de música ao vivo e discotecas. Trinidad fica a cerca de 350 quilômetros ao oriente de Havana e, há 12 km do centro está a Praia Ancón, conhecida pelo seu mar calmo de águas cristalinas. Também reconhecida como Patrimônio Mundial pela Unesco, a charmosa cidade de Cienfuegos é um prato cheio para os amantes da arquitetura francesa. Quem quer curtir a natureza precisa conhecer o mar cor de verde esmeralda dos Cayos. Os mais famosos são o Cayo Coco e o Cayo Guillermo, que ficam um do lado do outro, e possuem das praias mais lindas que se há para ver no mundo.

Colômbia

Para quem vai do Brasil, a capital da Colômbia é parada obrigatória. Não só porque ali encontra-se o principal aeroporto do país, mas porque Bogotá possui atrações que valem a viagem. Dentre eles: o centro histórico, com ruas de paralelepípedos e casas do período colonial, e museus imperdíveis como o Museo del Oro e o Museo de Botero. Escondida entre muralhas, a cidade de Cartagena reúne em um mesmo lugar o passado colonial da região, que lhe rendeu o título de Patrimônio Mundial da Humanidade, e um litoral de tons, aromas e sabores que agrada a todos. Dali, siga para San Andrés, destino isolado a 720 km da costa colombiana. Encontre aqui praias de areias brancas, mar de águas com deversos tons e uma tranquilidade rara em outros destinos litorâneos do país. Das fantasias de Gabriel García Marquez ao café montanhês de Juan Valdez, das praias caribenhas a um cremoso ajiaco, a Colômbia tem muito a oferecer!

Peru

O Peru é um país com muita tradição e de passado indígena, mas também fortemente ligado aos costumes impostos pelos conquistadores espanhóis, que chegaram à região na primeira metade do século 16. Essa mistura de culturas deixou em seu vasto território monumentos históricos, igrejas e sítios arqueológicos. A natureza também não deixa por menos: aqui, há belas florestas, desertos e cordilheiras nevadas.
Na lista de cidades e atrações imperdíveis está Cusco, Patrimônio Histórico da Humanidade, cujas ruas e becos de pedras parecem respirar os mesmos ares da época dos incas. A capital, Lima, tem encantadora arquitetura colonial. Mas são os misteriosos territórios de Machu Picchu o ponto de atração mais intensa dos turistas que visitam esse país mestiço.
Na costa norte, o eixo entre a colonial Trujillo e a pacata Chiclayo reserva descobertas arqueológicas impressionantes. Ali foram encontrados o Senhor de Sipán, um semideus da cultura moche, anterior aos incas, além da Dama de Cao, múmia preservada depois de 1700 anos que evidencia o relevante papel das mulheres nas sociedades pré-colombianas. Ruínas espetaculares, trekkings impressionantes, uma cultura única e uma rica gastronomia.

Chile

Além do Deserto do Atacama, destino queridinho dos brasileiros no Chile, o país conta com outras regiões e cidades interessante para conhecer. Santiago, a capital do país, possui bons museus para descobrir e entender um pouco do nosso vizinho, como o Museu dos Direitos Humanos e o Museu de Arte Pré-Colombiana. Marcado pela resistente cultura dos povos indígenas, o Chile é une modernidade e ancestralidade no seu território. Além das cidades vizinhas à capital que são famosas para bate e volta, Valparaíso, a cidade portuária com seus graffitis, e Viña del Mar, com sua praia, o país também abriga a linda região de lagos e vulcões, no sul. Puerto Varas e Pucón, por exemplo, são destinos que ficam próximos de vulcões e lagos, o que cria cenários de rara beleza. No inverno, a neve colabora para que esses lugares fiquem ainda mais característicos. Por último, também há a Ilha de Páscoa, um dos pontos que mais despertam a curiosidade dos viajantes. Isolada do continente, a ilha acaba sendo um dos destinos turísticos mais caros do Chile. Mas é certo que o lugar encanta quem tem o privilégio de conhecê-lo. Os moais, as praias, as cavernas e o clima da ilha deixam os viajantes fascinados.

Destinos para treinar o francês:

Martinica

Em muitos pontos, a Martinica destoa das ilhas caribenhas mais famosas: em lugar do aclamado fervor latino oferece aos visitantes paz e tranquilidade, roteiros históricos e natureza exuberante, pitadas de cultura local e uma herança francesa (a ilha faz parte do país europeu, na condição de departamento ultramarino).
Praias agitadas ou desertas ocupam a costa nos 80 quilômetros de comprimento e 34 de largura, habitados por pouco mais de 400 mil moradores. As distâncias curtas são aliadas de quem deseja conhecer várias faixas de areia.
Como sempre faz calor na Martinica, a sensação é de verão eterno. A temperatura média fica em torno de 27 graus. O vento frequente ajuda a diminuir a sensação de calor e, mesmo na temporada, há espaço de sobra nas praias.
Entre movimentadas ruas estreitas e construções com varandas e fachadas desbotadas do começo do século 20, é no centro histórico de Fort-de-France que está o melhor da face urbana da Martinica. Tão característico e importante para a economia da ilha é o rum que a maioria dos restaurantes tem como prática padrão oferecer um drinque de boas-vindas preparado com a bebida.

Senegal

Dakar é uma das cidades que você tem que conhecer. Além de ser a capital do país, tem atrativos suficientes para te convencer a ficar por lá nem que sejam alguns dias. É uma cidade cosmopolita, com ruas movimentadas e mercados com grandes atrativos e mercadorias de todos os tempos. De dia você pode sentir o mercado “pulsar” com toda a sua gente e vida. Ainda lá você pode encontrar bares, restaurantes e muitos programas para se divertir durante a noite.
A ilha dos escravos ou a Ilha de Gorée é uma atração quase que obrigatória já que aqui eram enviados os escravos que partiam para todo o mundo. Um local cheio de história que tem certa de 2 ou 3 ilhas com encantos e monumentos que contam um pouco da história do país.
Para quem quer ver uma bela praia é bom ir para Ngor, lá há várias praias interessantes para passear e observar a pacata vida local.
Outro lugar exuberante é o Lago Rosa que deve a sua fama à sua cor que varia entre o cor-de-rosa ao roxo dependendo da luz. É historicamente a etapa final do rally Paris-Dakar. A lagoa é rasa, cercada por dunas e a alguns metros do mar. O contraste do sal extraído do lago com a sua cor dão belíssimas fotos. Outro destino preferido dos turistas que visitam Senegal é Saly, uma cidade que transpira cultura tem praias agradáveis. Lá é onde fica a Reserva de Bandia onde você pode ter contato com girafas, búfalos e outros animais.

Marrocos

Localizado a noroeste do continente africano o Reino de Marrocos é um país que surpreende por suas diversificadas paisagem, cores e cultura. Com cachoeiras e lagos de águas claras que convivem com paisagens desérticas, Marrocos ainda possui mais de mil quilômetros de litoral. O forte sol e a poeira do deserto do Saara estão em meio ao colorido das medinas, antigos centros comerciais, cercados por muralhas. A gastronomia é também um dos pontos altos:a confluência de pratos e ingredientes dos povos nômades do deserto, de mediterrâneos, árabes e franceses, criou uma identidade gastronômica única. As refeições são perfumadas com toques de açafrão, limões em conserva, hortelã e muitos outros condimentos, sempre envolvendo clássicos como o cuscuz e tajines variados. Fez, Marrakesh, Rabat e Meknés são os principais destinos. Cidades históricas em que, ao viajar por elas, é possível ver os resquícios da vasta história de colonização portuguesa, francesa e do imperialismo islâmico, além dos traços que caracterizam a tradicional e rebuscada arquitetura marroquina.

Tunísia

A Tunísia vai muito além de Túnis. Bem próximo de lá, a antiga colônia fenícia de Cartago, patrimônio mundial pela Unesco, tem vestígios de ruínas romanas do século II em deslumbrante sítio arqueológico voltado para o azul do Mar Mediterrâneo. Destacam-se também nos registros históricos o bem preservado coliseu de El-Jem, datado do século 3 d.C., e o parque arqueológico de Sbeitla com suas quase intocadas ruínas dos templos dedicados a Minerva, Júpiter e Saturno, construídos a partir de 139 d.C. A Tunísia ainda possui um paradisíaco litoral de 1300 quilômetros, com belas praias e resorts cinco-estrelas a preço convidativos, sobretudo na popular Hammamet.

Destinos para treinar o inglês:

Trinidad e Tobago

O par de ilhas é daqueles lugares para ir e apreciar a natureza, sua principal matéria prima. É rústico em tudo: desde a maioria das instalações, até o seu povo e, principalmente, pelos seus lugares e praias paradisíacas. Indo na época certa, é possível curtir a água cristalina, na temperatura certa e ainda ver a vida debaixo do mar sem muito esforço. Depois de descoberta por Cristóvão Colombo em 1498, Trinidad e Tobago foi dominada por espanhóis, franceses, holandeses e britânicos, mas foram esses últimos os que mais deixaram suas características. A língua oficial lá é o inglês britânico, apesar de eles falarem entre si também em uma linguagem local. Até a direção dos carros é britânica. A pequena dimensão demográfica consegue reunir maravilhas como turismo de contemplação, ecoturismo e turismo de aventura. Em um só lugar é possível mergulhar em um dos melhores pontos para o esporte, fazer trilhas no meio de uma floresta tropical, praticar esportes aquáticos como surf e kitesurf (dependendo da época do ano), stand up paddle, caiaque, ou simplesmente deitar na areia e curtir a natureza.

Quênia

Situado na costa leste da África, banhado pelo Oceano Índico, o Quênia é um destino de férias fascinante com diversos atrativos: paisagens deslumbrantes, diversidade cultural, esportes de aventura, belas praias e animais selvagens. Antiga colônia britânica, tornou-se independente em 1963 e ainda hoje conserva a riqueza cultural das raízes milenares dos povos tribais.
Famoso pelas suas savanas, os safáris de observação são a atração principal do Quênia. Seus parques e reservas nacionais são belos e impressionantes cenários de cinema, repletos de animais selvagens em constante movimento, incluindo os “Big Five”: leões, búfalos, rinocerontes, elefantes e leopardos. A experiência de conhecer o Quênia não se limita aos safáris. Este é um país de contrastes: desertos e neve, florestas e planícies, recifes de coral e lagos de água doce são alguns dos destinos a serem explorados nas paradisíacas paisagens quenianas.

Jamaica

A terra do reggae, dos rastafáris, das good vibes, de infinitas praias paradisíacas, natureza exuberante e comida apimentada. A linda ilha situada do Caribe é um ótimo país para se fazer atividades ao ar livre e se conectar com a natureza. Além das praias de areia branquinha e mar azul transparente, há também a gastronomia jamaicana, uma mistura da cozinha africana e inglesa, na qual se predomina o sabor intenso da variedade de temperos utilizados na culinária. Com muito uso de peixes, aves, arroz, legumes, frutas e especiarias, você encontrará também muitas comidas apimentadas. Os pratos principais e mais tradicionais são o jerk beef e jerk chicken, que são churrascos de carne, porco e frango marinados em um molho agridoce apimentado e assados a baixa temperatura com uma madeira especial; e os patties, bem parecidos com os nossos pastéis, porém com uma massa diferente e de vários sabores. A terra natal de Bob Marley e muitos outros artistas renomados do reggae não nega as suas raízes e empodera com força o estilo musical, lá fica também o museu do cantor, na casa onde ele morava. Também há muitos festivais que atraem gente do mundo inteiro, como o Ocho Rios Jazz Festival, com 25 anos de história, e os grandes festivais de reggae, como o SumFest e o Sunsplash, com programações que duram cerca de uma semana.

África do Sul

O destino consegue unir a emoção dos safáris, belas praias e cidades de grande riqueza cultural. Por ser bem estruturada para o turismo, a África do Sul recebe cerca de 10 milhões de turistas estrangeiros por ano.
É o destino perfeito para os amantes de natureza, mas não só para eles, já que também possui cidades interessantes para conhecer como Cidade do Cabo, Durban e Joanesburgo, com conceituados restaurantes, vida noturna e atrações culturais como o Museu do Apartheid e o bairro de Soweto. Johanesburgo apresenta-se como um grande centro urbano, com ruas movimentadas e atrações turísticas que relembram o passado histórico recente do apartheid.
E se for de lugares curiosos que você gosta de visitar, a África do Sul também pode te surpreender nesse aspecto, já que o país é banhado por dois oceanos, possui 11 línguas oficiais e tem três capitais. Pluralidade é o tema em questão por lá, além de algumas das paisagens litorâneas mais bonitas do mundo.

Continue nos acompanhando para descobrir dicas pedagógicas e novas referências culturais! 😉

Roberta Sousa, Coordenadora de Comunicação do Abraço RJ
2019-10-29T20:18:58-02:00