fbpx

Yalla dabkeh!

Se você tem interesse em cultura árabe com certeza já ouviu falar do dabkeh (ou dabke). A dança, típica da área do Levante – que compreende principalmente países como Palestina, Líbano, Jordânia, Síria e uma porção da Turquia -, é um dos ritmos mais animados do Mundo Árabe e dançada principalmente em ocasiões especiais como casamentos, aniversários e datas comemorativas ou folclóricas. A dança é acompanhada de coreografias complexas, danças de grupo, pisadas de pés (ou dabkeh, em árabe a palavra significa sapatear/bater no chão com o pé), aplausos e gritos. O dabkeh é uma dança que requer energia e força e geralmente assume a forma de um semicírculo ou “fila” com os dançarinos. Geralmente, há um líder entre eles, posicionado como o primeiro da fila, chamado de “raas” (“cabeça” em árabe), que tem o papel de conduzir a dança e requer bastante habilidade e carisma.

Veja abaixo nosso guia básico para você entender o dabkeh:

História e origem

Acredita-se que o dabkeh surgiu entre o Líbano e a Palestina a partir de uma prática peculiar. Antigamente, o telhado das casas eram reforçados com plantas, galhos e lama. Para a reforma, era necessários compactar lama novamente nos telhados e isso era feito recolocando e pisando em cima da nova lama. Como o trabalho era árduo, era comum a prática acontecesse em grupos, vizinhos e/ou familiares que formavam uma fila, ficavam de mãos dadas e batiam os pés na lama para compactá-la novamente. Para evitar que o trabalho se tornasse monótono e cansativo, alguns cantavam poesias e dançavam ao ritmo delas. Dizem que foi assim que surgiu o dabkeh. Com o passar do tempo, instrumentos de música foram adicionados às essas cantorias, dando origem à dança e à música do dabkeh que por sua vez se tornou um verdadeiro ritual se espalhando principalmente entre os Estados da área do Levante.

Música, instrumentos e adereços

A música árabe tradicional usada para esta dança é caracterizada por melodias de forte carga emocional. Diferentes tipos de dabkeh são distinguidos pela sua música e pela região de onde vêm. Existem cinco componentes principais do dabkeh em termos de instrumentação. Eles incluem o alaúde (oud), o tablah ou derbak (um pequeno tambor de mão), mijwiz (semelhante ao clarinete vermelho com dois canos), o tabel (similar a um tambor) e o arghul (como mijwiz, mas com buracos nos dedos em um dos tópicos). As músicas de dabkeh mais novas geralmente misturam instrumentos tradicionais com batidas eletrônicas.

Na dança também se usa alguns adereços. Um deles é o masbaha, um colar de contas/terço típico árabe, que é girado por quem está “puxando” o dabkeh. Também pode ser dançado com o primeiro da fila usando um lenço de pano (mandil), bastão ou às vezes até uma espada. Além disso, por vezes também se usa o lenço árabe que se coloca na cabelo ou pescoço, o keffieh. Todos estes adereços fizeram parte da formação da dança e representam o povo árabe.

Curiosidades

Dançarinos que executam o dabkeh na fila devem segurar as mãos e alinhar os ombros. Seus ombros não devem ser separados durante a performance.
A linha deve se mover no sentido anti-horário.
O “cabeça” da roda, primeiro da fila, segura adereços (geralmente um lenço ou terço) enquanto dançam.
É realizado por homens e mulheres, exceto em algumas das variações do dabkeh jordaniano. Aliás, também não é tão incomum haver rodas de dabkeh femininas, principalmente no Líbano.

Regionalismos do dabkeh

Como era de se esperar, o dabkeh assume diversas características dependendo de cada região. As vertentes mais famosas são o dabke palestino, o libanês e o sírio.

Palestina

Líbano

Síria

Artigo feito com a colaboração dos professores Adel e Hadi Bakkour, do Abraço Cultural RJ. شكرا

Roberta Sousa, Coordenadora de Comunicação do Abraço RJ
2019-05-08T18:14:11+00:00